quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

19º CAPÍTULO




QUARTA-FEIRA, 19 DE JANEIRO DE 2011


NOSSO RETORNO AO BRASIL

 1- OS NOSSOS PENSAMENTOS NEM SEMPRE  SÃO OS PENSAMENTOS DO SENHOR!

Pensávamos que a nossa passagem pelo Brasil seria rápida. O nosso coração vibrava pela Itália. A Nossa Igreja, em Belém, estava disposta a apoiar-nos mesmo sabendo do alto preço a pagar para manter um missionário naquele país. O único problema era que precisávamos de um convite da Assembléia de Deus italiana para poder conseguir o visto de permanência. Mesmo com a interferência do saudoso pr. Bernardo Jhonson, não foi possível conseguir esse convite. (Ainda hoje a “Assemblea di Dio Italiana”, não aceita missionários estrangeiros, nem para um cafezinho).

2 - A TERCEIRA IGREJA FUNDADA NO BRASIL

A orla em frente a bela cidade de Soure a Pérola do Marajó
            Depois de um tempo em Belém, surgiu a oportunidade de pastorear a Igreja em Soure, Capital do Marajó (Pérola do Marajó). Ali passamos dois anos e meio. Deus nos abençoou grandemente durante aquele tempo. A Igreja Assembléia de Deus em Soure, foi a terceira Igreja fundada no Brasil (ano de 1912), igreja tão antiga e com tanta história. Nos sentimos privilegiados e agradecidos a Deus por ter pastoreado aquela Igreja. Neste curto espaço de tempo, conseguimos um belo terreno para a construção de um novo templo sede.

A cidade em que o policiamento  é feito  montada em búfalos.
           Começamos a construção e deixamos no ponto de receber o telhado. Também idealizamos, projetamos e administramos a construção da Praça da Bíblia, com os recursos da Prefeitura Municipal, na administração do Dr. Carlos Augusto Gouveia (Tonga), que foi inaugurada com um grande desfile pela cidade, com banda de música, coral, etc.

Durante o tempo que passamos ali, minha esposa participou da administração do prefeito como Secretária de Ação Social. Foi uma grande oportunidade que Deus nos deu. Minha esposa usou sabiamente a oportunidade para falar de Jesus e ganhar muitas almas. Louvamos a Deus pelas grandes vitorias alcançadas naquela cidade. Também fui agraciado e homenageado pela Câmara Municipal, com o Título Honorífico de Cidadão de Soure.
           
3 -   INAUGURAÇÃO DA PRAÇA DA BIBLIA

Juntamente com o Sr. Prefeito, Dr. Carlos Augusto, cortamos a fita simbólica de inauguração. Em seguida, fizemos uma exposição do desenho do monumento: 4 refletores, que representam os Evangelhos;o monumento triangular, que representa a Trindade; nas três faces do monumento, a um metro de altura, está a Bíblia Sagrada que é a Palavra de Deus; mais em cima, nas três faces, a cruz  vazada que representa o sacrifício de Cristo; o monumento pontiagudo, indicando que só existe um caminho para o céu. 

Momento em que eu e o Senhor Prefeito da época Dr. Carlos Augusto Gouveia, cortávamos a fita simbólica, inaugurando oficialmente a Praça da Bíblia na Cidade de Soure PA.

Naquela noite memorável de inauguração, eu preguei a Palavra de Deus para uma grande multidão que se fez presente aquele acontecimento. A Praça da Bíblia em Soure passou a fazer parte do roteiro turístico  da cidade. Na placa de bronze está registrado a nossa participação como o projetista e construtor daqiuela praça.
Aqui nós temos diferentes fazes da construção do templo, desde o trabalho de arrancar pedras na praia , a limpeza do lote e a edificação do templo com a mão de obra dos irmãos locais, todo mundo trabalhava até velhinhos com mais de 80 anos estava com a mão na massa.
A igreja decidiu fazer um grande desfile pelas principais avenidas da cidade em comemoração a Praça da Biblia.

Templo em construção em frente a praça da Bíblia. Não concluimos, nossa passagem por Soure foi muito rápida, apenas dois anos e alguns meses.

4- CONCORDIA DO PARÁ

Quem tem a chamada missionária dificilmente pode ficar “estacionado” muito tempo em um lugar. Fizemos uma permuta com o pastor de Concórdia do Pará. Era uma Igreja com mais de mil membros, com várias congregações, algumas delas com uma distância de 40 km. Foi um tempo de bênçãos porém, também um tempo de grandes lutas. Louvamos a Deus por tudo aquilo que pudemos aprender naquele campo.

5 - PORTO TROMBETAS

Porto Trombeta. Sob o Rio Trombetas Pa.
Estávamos cumprindo um ano em Concórdia, quando surgiu o convite para irmos a Porto Trombetas, um lugar bem mais longe da capital, três dias de viagem em navio e uma hora e meia de avião. Um lugar muito bonito, pertencente à empresa Mineração Rio do Norte. E uma cidade privada, aberta somente aos funcionários da empresa. A Igreja tinha uns seiscentos membros e era proprietária de um lindo barco destinado à evangelização daqueles rios. Foi um tempo muito abençoado e gratificante para nós. Depois de quase um ano, retornamos      a  Belém.

6 - QUERIA DEIXAR DE SER PASTOR

Estava saindo de uma grande batalha. Me sentia machucado, decepcionado e na verdade, não queria mais depender de Igreja nenhuma para sobreviver.
Estava em Belém cooperando como superintendente da Escola Dominical no Templo Central, estava muito bem pois este era o meu desejo, cooperar, porém sem responsabilidade direta com o pastorado.
Comprei dois carros e coloquei na praça, já estava negociando a compra de mais dois, tinha o dinheiro que precisava e pensava que assim seria melhor. Creio que Deus estava esperando para ver até onde eu iria. De repente, tudo mudou. Me sentia como um peixe fora d’água. Uma grande tristeza invadiu a minha alma, sentia saudades do púlpito, e do meu ministério. Chorava dia e noite como uma criança e novamente me coloquei no altar de Deus, dizendo:

-Eis-me aqui Senhor, quero terminar a missão que Tu me deste para fazer

Nenhum comentário:

Postar um comentário