quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

16º CAPÍTULO




SEGUNDA-FEIRA, 10 DE JANEIRO DE 2011


 

A ITÁLIA NO CORAÇÃO DE MINHA ESPOSA


Deus colocou a Itália no coração da Rosinha. Diariamente ela orava e falava das necessidades espirituais daquela nação. Até então, eu não sentia nada pelo velho continente.

Em 1984, quando estivemos na Noruega, uma família se ofereceu para nos acompanhar em uma visita de uma semana à Itália. Fui muito egoísta, não quis aceitar com a desculpa de que já estávamos há quatro meses fora e precisávamos regressar. Em 1986, participei da Conferência “Armsterdan 86” na Holanda, patrocinado pela Associação Billy Ghraam. Após o término, estive novamente na Suécia e ao retornar ao Brasil, o fiz com escala em Roma, por uma semana.

Fiz alguns contatos com pastores da “Chiesa dei fratelli” (Igreja dos irmãos), onde ficamos hospedados. Visitei a Assembléia de Deus, porém logo senti o desinteresse daqueles irmãos em receberem missionários latinos. Em um culto de domingo, preguei em uma Igreja onde havia 6 pessoas, contando comigo e o dirigente do culto. Vi muitas dificuldades e entre elas, os preços de aluguéis, o alto custo de vida. Voltei com o meu coração ainda mais fechado.

Quando cheguei em casa, minha esposa estava ansiosa para receber as notícias da Itália. Muito desanimado lhe disse tudo sobre as dificuldades. Depois tratei de convencê-la de que aqui no nosso continente é mais fácil para se pregar o Evangelho porque sempre temos um grande auditório, cheio de pessoas interessadas em ouvir a palavra de Deus. Enquanto eu falava, ela começou a chorar. De repente olhou para mim e falou como nunca havia feito:

-Estou com pena de você. Você foi com a visão dos espias que só viram os gigantes e as dificuldades, você não atentou para os frutos da terra, os 56 milhões de italianos sem o conhecimento de Cristo. Eu gostaria que você tivesse a visão de Josué ou Calebe. 

Confesso que aquela foi uma experiência muito marcante na minha vida, pois a impressão que senti quando minha esposa olhou para mim, foi a de que Deus me estava cobrando. Suas palavras me tocaram tanto que chorei pedindo perdão ao Senhor. Foi naquele momento que também  me apaixonei pela Itália e desde então me senti chamado por Deus para cumprir uma missão naquele país. Os dias que tinha passado em Roma, os contatos que tinha feito eram somente motivados pela chamada da minha esposa, porém daí em diante, eu passei a agir e a sentir pela minha própria chamada e visão.
Daí começamos a orar e esperar a hora de Deus para atender o ardente desejo de irmos  à Itália, não apenas como turistas mas como enviados de Deus para cumprir uma missão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário